segunda-feira, 15 de setembro de 2008

É lenda

Bem pessoal, acho que todos conhecem a lenda que os livros americanos de Geografia ensinam que a nossa Amazônia é patrimônio internacional. Há alguns dias, vi um pronunciamento do senador Cristóvam Buarque que dizia já haver procurado em vários livros americanos e nunca ter encontrado tal didática. Ao pesquisar sobre o assunto me deparei com essa imagem:


Essa imagem começou a circular em 2001 como sendo uma página de um livro de Geografia americano. Como muitas vezes a internet é usada como meio de espalhar boatos, não tardou que a lenda caísse na boca dos brasileiros. Acompanhada dessa imagem, a mensagem que se seguia era a seguinte:

Que absurdo!

Todos nós já ouvimos falar que os americanos querem transformar a Amazônia num parque mundial com tutela da ONU, e que os livros escolares americanos já citam a Amazônia como floresta mundial...

Pois chegou a nossas mãos o livro didático "Introduction to geography" do autor David Norman, livro amplamente difundido nas escolas públicas americanas para a Junior High School (correspondente à nossa sexta série do 1ºgrau).

Olhem o anexo e comprovem o que consta à página 76 deste livro e vejam que os americanos já consideram a Amazônia uma área que não é território brasileiro, uma área que rouba território de oito países da América do Sul e ainda por cima com um texto de caráter essencialmente preconceituoso...

Vamos divulgar isso para o maior número de pessoas possível a fim de podermos fazer alguma coisa ante a esse absurdo..."

A tradução aproximada da página do livro seria:

Introdução à Geografia América do Sul

Na seção norte da América do Sul, formando uma área de mais de 3.000 milhas quadradas.

3.5.5. - A antiga reserva internacional da Floresta Amazônica

Desde meados de 1980 a mais importante floresta do mundo passou à responsabilidade dos Estados Unidos e Nações Unidas. É chamada de FINRAF (Reserva Internacional da Floresta Amazônica) e sua fundação deu-se ao fato de a Amazônia estar localizada na América do Sul, uma das mais pobres regiões do planeta e cercada por países irresponsáveis, cruéis e autoritários. Ela era parte de oito países diferentes e estranhos, que são em sua maioria, reinos de violência, comércio de droga, ilegalidade e povos primitivos.

A criação da FINRAF foi apoiada por todas as nações do G-23 e foi realmente uma missão especial de nosso país e um presente para todo o mundo, desde a posse dessas valorosas terras de modo que países primitivos e povos possam condenar o pulmão do mundo ao desaparecimento e destruição total em alguns anos.

Nós podemos considerar que essa área tem a mais (biodiversidade ???) no planeta, com um vasto número de todos os tipos de animais e vegetais. O valor dessa área é impossível de se calcular, mas o planeta pode estar certo de que os Estados Unidos não permitirão a esses países latino Americanos explorar e destruir esta real propriedade de toda a humanidade.

FINRAF é como um parque internacional, com severas regras de exploração.


Após algumas análises feitas por professores e tradutores de inglês, eis as conclusões:

Não vou comentar o texto todo por falta de tempo, mas o último parágrafo (aquele que fica no canto inferior direito da página) contém erros que só seriam cometidos por pessoas que não têm convívio com a língua inglesa, isto é, por estrangeiros ao idioma inglês. Na minha opinião, isso pode indicar falsificação do texto.

O texto apresenta indícios de que foi escrito por algum nativo de língua latina. Contém a palavra "explorate", que é palavra em desuso nos EUA e a palavra com mais probabilidade de aparecer num texto desses seria "explore".

O trecho "We can consider that this area has the most biodiversity in the planet" parece tradução literal do português ou do espanhol e "has the most biodiversity in the planet" não tem sentido em inglês.

"The value of this area is unable to calculate" é "o valor dessa área é incapaz de calcular". Desde quando valor tem capacidade de fazer contas? Se o autor quisesse dizer que "o valor dessa área é incalculável", deveria dizer que "the value of this area is incalculable" -- isso em tradução literal, pois existem diversas maneiras de se dizer isso em inglês.

O verbo "to calculate" exige sujeito pensante, e "value" não pode ser sujeito de "calculate", além de vários outros detalhes com relação ao uso de "unable" etc. É uma frase impossível em inglês. "the planet can be cert" também não faz sentido. "won't let there Latin American countries", idem. Em resumo, o parágrafo inteiro é inglês macarrônico.

Até o momento, já recebi umas 8 respostas, cada uma mais engraçada que a
outra. Uma delas diz que aquele texto mais parece manual de videocassette
chinês!

Esses meus mais de 20 anos traduzindo do inglês para o português pelo menos me deixaram com o faro apurado para o inglês autêntico e para o forjado por quem não sabe. Assim como a gente ri quando um alemão diz "o salsicha', os ianques estão rolando de rir do inglês daquele texto falsificado. (Em tempo: só repassei para eles o último parágrafo, pois eu não estava interessada em fazer com que meu país virasse alvo de piadas. O parágrafo que enviei não deixa transparecer do que se trata exatamente.) Por Jussara Simões, tradutora profissional, São Paulo.

Outra análise:

An Introduction to Geography / SOUTH AMERICA

... in the northern section of South America, forming a land of more than 3.000 {1} square miles.

3.5-5 - THE FORMER INT'L RESERVE OF AMAZON FOREST

Since the middle 80's the most important rain forest of the world was passed to the reponsability {2} of the United States and the United Nations. It is named as {3} FINRAF (Former International Reserve of Amazon Forest) and its foundation was due to the fact {4} the Amazon is located in South America, one of the poorest regions on earth {5} and surrounded by irresponsable {6}, cruel and authoritary countries. It was part of eight different and strange countries, which are in the majority of cases, kingdoms of violence, drug trade, illiteracy and a {7} unintelligent and primitive people.

The creation of FINRAF were {8} supported by all nations of G-23 and was really a special mission of our country and a gift of all the world, since the possession of these valuable lands to such primitive countries and people could comdemn the lungs of the world to disappearance and full destroying in few years.

We can consider that this area has the most biodiversity {9} in the planet, with a vast number of species of all types of animals and vegetals {10}. The value of this area is unable to calcule {11}, but the planet can be cert {12} that The United States won't let these Latin American countries explorate {13} and destroy this real ownership {14} of all humanity {15}.

FINRAF is like an international park, with very severe rules of exploration.

LEGENDA DO MAPA:

map 2.5-5.1 {16} - We can see the location of the International Reserve. It took area of eight South America's {17} countries: Brazil, Bolivia, Peru, Colombia, Venezuela, Guyana, Suriname and F. Guyana. Some of the poorest and miserable countries of the world.

Foi obviamente obra de um brasileiro tentando escrever em inglês:

1. "3.000 square miles" - Usou ponto para separar milhar
2. "passed to the responsability" -- Não se usa o termo e o certo é "responsibility" com "i".
3. "is named as FINRAF" -- Não se usa o "as".
4. "due to the fact the Amazon" -- Seria "the fact that the Amazon".
5. "earth" -- Usa-se com maiúscula: Earth.
6. "irresponsable" - O certo é irresponsible, com "i".
7. "a unintelligent" -- O certo é "an".
8. "the creation of FINRAF were" - O certo é "was".
9. "has the most biodiversity" - Errado.
10. "vegetals" -- Pouco usado.
11. "unable to calcule" -- Construção errada, seria "impossible to calculate".
12. "be cert" -- Tradução grosseira. Certo seria "be sure", "be certain".
13. "explorate" -- Verbo errado, seria "explore".
14. "ownership" -- Termo mal empregado.
15. "humanity" -- Pouco usado, prefere-se "mankind".
16. "map 2.5-5.1" -- A seção é 3.5-5
17. "eight South America's countries" -- Seria "South American countries".

Pesquisando via Google, conclui-se também que:

A. O único David Norman escritor famoso é especialista em dinossauros. Os outros são apenas homônimos e nenhum escreveu nada sobre geografia para crianças:

http://www.powells.com/search/DTSearch/search?author=David%20Norman

http://www.google.com/search?hl=pt&newwindow=1&q=%22david
+norman%22+%22Sedgwick+Museum%22&lr=

http://shopping.yahoo.com/shop?d=a&id=2003990&clink=
dmbk-tr/titlelist/2065006580&cf=author

http://www.amazon.co.uk/exec/obidos/ASIN/0713656905/
qid=1005941060/sr=1-7/ref=sr_sp_re/202-1087825-8995842

http://www.amazon.co.uk/exec/obidos/Author=Norman%2C%
20David/202-1087825-8995842

http://www.netstoreusa.com/phbooks/082/0822319624.shtml

http://www.nd.edu/~remarx/Marxism2000/schedule.html

http://devel.diplom.org/DipPouch/Zine/W1999A/Clarke/Deposits.html

http://devel.diplom.org/DipPouch/Postal/Zines/TAP/abyss249.html

http://www.du.se/bibliotek/nyfhdf/hdfjuni00.html

B. G-23 e FINRAF são meras invencionices.

Mais informações no site: http://www.novomilenio.inf.br/humor/0111f002.htm


Não sei bem ao certo os motivos do boato. Por um lado, até me pareceu bom, já que serviu de alerta a sociedade brasileira de que tem gente de olho na nossa Amazônia. Por outro, me pareceu uma tentativa de inferiorizar a soberania nacional do Estado brasileiro, de impor um certo tipo de medo psicológico na sociedade, de nos fazer acreditar que não podemos cuidar de nossas valiosidades.
Mas podem respirar aliviados, é só lenda. A Amazônia ainda não é território internacional.

Até a próxima.

Um comentário:

davi disse...

sem palavras para falar desse absurdo!!